quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

Biografia de Dom Paulo José Tavares



            Dom Paulo José Tavares nasceu no dia 25 de janeiro de 1920 em Rabo de Peixe.
            Frequentou o seminário episcopal de Angra e foi ordenado em Roma no dia 24 de Abril de 1943.
            Durante os seus primeiros tempos em Roma, a sua vida foi um pouco atribulada por causa da 2ª Guerra Mundial.
            Premiado em Direito Canónico, em 1945, pela Universidade Gregoriana, frequentou a Academia Eclesiástica até 1947, ano em que entrou para a Secretaria do Estado do Vaticano, onde desempenhou os cargos de adido, secretário, auditor e conselheiro da nunciatura.
            D. Paulo José Tavares foi nomeado bispo de Macau pelo Papa João XXIII, em 24 de agosto de 1961.
            Visitou a sua terra natal já sagrado bispo. Este foi um dia de festa na freguesia. À sua espera estava uma grande multidão, assim como as duas bandas de música. O povo ofereceu-lhe o anel episcopal.
            No dia 22 de novembro de 1961, tomou posse da sua diocese de Macau e levou como seu secretário particular o seu irmão, reverendo doutor Manuel Alfredo Tavares.
            Enquanto bispo, teve uma vida muito ativa: fez parte de todas as sessões do Concílio Vaticano II (1962/65); reorganizou as paróquias da sua diocese de Macau; criou o Conselho das Escolas Católicas; introduziu na diocese os cursos de cristandade, o Movimento para um Mundo Melhor e o dos Focolari; criou e ampliou dispensários, infantários e escolas; organizou uma escola de férias e uma feira anual, cuja receita era utilizada no ensino dos mais pobres e para os asilos; construiu uma casa de retiros para os sacerdotes e religiosos e um auditório diocesano; ampliou as igrejas de Nossa Senhora de Fátima e de Nossa Senhora das Dores.
            Também dedicou algum do seu tempo à escrita. Das suas obras literárias destaca-se a tese que defendeu em Direito Canónico “A Concordata Portuguesa de 1940 e a Situação Jurídica da Igreja em Portugal, em alguns dos seus principais aspetos”.
            Faleceu ainda muito novo, no dia 12 de junho de 1973 em Lisboa, chegando o seu corpo a S. Miguel no dia 14 e sendo sepultado no dia 15 na sua terra natal, num jazigo mandado construir pela família.
            Era conhecido por ser boa pessoa, simpático, muito inteligente e grande trabalhador. Quando estava de férias, tinha o hábito de desafiar os trabalhadores nas terras de seu pai.
            
Em Rabo de Peixe tem uma escola e uma rua com o seu nome e o seu busto no Largo de S. Sebastião.

 Pesquisa efetuada por Cláudia Sofia Fonseca Anselmo


Sem comentários:

Enviar um comentário